terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Biscoitos de Maple


Época de Natal nos faz tirar do baú todas as tradições de família, especialmente aquelas que registradas nos cadernos de receitas da avó, da mãe , das tias... 
Digo que em nossa casa, só é Natal quando, a mamma faz a distribuição -das tão esperadas - bolachinhas, de variadas receitas, que ela nos prepara com muito esmero e empacota individualmente para nos presentear.
Presentear com doces é um sinal de apreço ou afeto, segundo William Sitwell, autor do livro A História da Culinária em 100 receitas. Gosto muito disso: dar e receber doces.
Experimentei uma nova receita de biscoitos (ou seriam bolachinhas?) que combinam muito bem com a época natalina. Fez um sucesso por aqui e é uma alternativa para os presentinhos de Natal.

Biscoitos de Maple

Você irá precisar de:

150 g de manteiga 
1 1/4 xícaras ( de chá) de açúcar 
2 ovos
1/4 xícara de Maple*
3 colheres de chá de extrato de baunilha (observe que há diferença entre extrato e essência) 
3 xícaras (de chá) farinha de trigo
3/4 colher (de chá) de fermento em pó
1/2 colher (de chá) de bicarbonato de sódio 
1/2 colher (de chá) de sal

* Maple = xarope extraído da seiva bruta de árvores do gênero Acer - também conhecido como xarope de bordo ou maple syrup. É um melado tipico canadense usado, entre outros, nas panquecas. 

Preparo:

1. Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até que formem um creme. Sem parar de bater, junte os ovos, um de cada vez e em seguida , adicione a baunilha. Fora da batedeira, acrescente gradualmente os ingredientes secos misturando tudo. Cubra e leve à geladeira por pelo menos 8 horas ou até estar em condições de ser manuseada.
2. Em uma superfície levemente enfarinhada, corte um pedaço da massa e abra com as mãos (será difícil para abrir com rolo , pois ela gruda na bancada), vá dando tapinhas até ter o tamanho para cortá-las com cortadores de biscoitos. Distribua os biscoitos numa assadeira- não precisa ser untada, mas preferi colocar com papel manteiga - deixando uma pequena distância entre eles.
3. Asse em forno (pre-aquecido), a 180º C, até dourarem. Deixe-os esfriar numa grade antes de guardá-los em potes ou embalá-los.








Uma receita rende muitos biscoitos!
Vai muito bem com café, chá e até vinho do Porto.
Você pode decorar os biscoitos com fios de chocolate derretido ou apenas passar no açúcar de confeiteiro. Eu gosto assim!

GUIA:

- Esta receita é baseada no blog Saboreando a Vida
Livro: A História da Culinária em 100 receitas. William Sitwell - Publifolha - 2013


Desfrute!
Angela Caruso

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Panetone Italiano Artesanal


Independente da decoração, percebo que o Natal está chegando quando entro num hortifrúti e sinto o perfume dos pêssegos e nectarinas, e quando vejo aquelas paredes de panetones formadas na entrada dos supermercados. Na verdade, nunca fui muito fã de panetone, mas meu marido é um 'aficcionado' por esse pão doce italiano. Então, para presenteá-lo, resolvi investir num curso de panetone usando fermentação natural. Investir aqui tem um sentido muito amplo. Envolve a compra do curso, de materiais, ingredientes e utensílios, bem como na organização do tempo, pois são dois dias de preparo, desde o fermento até o forneamento. Mas, vale muito a pena.

Este post não tem o propósito de ensinar a fazer panetone, mesmo porque não me sinto apta para tanto,  mas de mostrar que 'comidinhas' feitas em casa tem sabor muito melhor, pois além dos ingredientes naturais, tem  uma dose de carinho em cada grama de ingredientes pesado e durante todo o preparo. Lembram do filme mexicano Como Água Para Chocolate?  Mais ou menos isso!

O Panetone, tão consumido na época do Natal, nasceu em Milão, na Itália. Sobre sua origem, conta-se algumas lendas. A que mais gostei é a história que se passa durante o reinado de  Ludovico Sforzade. Um padeiro cujo nome era Toni, na intensão de impressionar o pai de sua amada , que também era seu patrão, inventou um pão doce que ficou conhecido por Pan di Toni - que virou panatton em milanês e panettone em italiano.

Minha primeira experiência em preparar a iguaria foi uma verdadeira saga. Foram vários os obstáculos a serem vencidos. A receita não é complicada, nada disso. Tudo uma questão de planejamento, que inclui organização de tempo , espaço e ingredientes. 
Para inicio de conversa, não encontrei todos os ingredientes na cidade onde moro, precisando buscá-los em São Paulo. Depois, fiz um planejamento inicial que precisou ser alterado imediatamente, porque eu não prestei atenção à aula e nem li direito a apostila quanto ao preparo do fermento - eu achava que já sabia tudo o que tinha que ser feito com o fermento, afinal já sei fazer pão desde maio quando participei do curso de fermentação natural - ledo engano! Quando o assunto é panetone, o fermento recebe um tratamento especial ao longo de um dia, antes de ser misturado aos ingredientes  para a primeira fermentação. E ainda, ficamos sem energia elétrica na hora de ligar a batedeira para a segunda fase do preparo.  No entanto, vencido os obstáculos, finalizar foi como ganhar um OSCAR.        
O resultado foi um panetone deliciosamente macio e naturalmente perfumado -sem adição de conservantes e/ou essências industrializadas com aroma de panetone-   aprovado por todos, em especial pelo marido e pela Mamma, tão crítica quando o assunto é culinária. 









Panetone embalado e batizado

Convido a todos para aprender, ou aperfeiçoar suas habilidades com o 'Pan di Toni ',  acessando o curso produzido pelo Amo Pão Caseiro, com a tutoria de Vivi Lavratti e Adriano Ribeiro. O curso é on line, e você pode assistir quantas vezes tiver necessidade. Os vídeos estão bem produzidos e os tutores muito didáticos, não tem erro!  Mas, se houver qualquer necessidade, a tutoria é muito atenciosa, resolvendo os problemas e dificuldades dos alunos quase just in time. E mais, para aqueles cujo interesse é em comercializar , eles ainda fornecem todas as instruções de como fazer as vendas.


Vivi Lavratti e Adriano Ribeiro

Esta é a época de trocamos presentes e por que não fazê-lo com guloseimas preparadas em nossas próprias cozinhas? Certamente é um presente de valor imensurável. Pode não durar o ano inteiro, mas estarão vivos nas memórias afetivo-gustativas para sempre.

Ao menos, coloque esse novo desafio em sua vida para 2018!
Pense nisso!

Fiquei tão feliz com o resultado do meu panetone, que depois dessa maratona, acho que seriei capaz de fazer qualquer coisa que me apareça, desde que eu queira fazer. Mesmo sem precisar, certamente aumentou alguns pontos na minha auto estima (rsrs)



GUIA:
- Amo Pão Caseiro - http://amopaocaseiro.com.br/
- Filme: Como Água para Chocolate
   México- abril de 1992 
   Direção: Alfonso Arau
   Premio Ariel de Melhor Diretor

Boas fornadas!
Angela Caruso



quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Natal, outra vez!



E que todos os dias o sol não esqueça de nascer,
Todas as noites sejam desenhadas com pontos de luz e uma lua vibrante,
Que todos os meses tenha sábados e domingos preguiçosos,
E que todo ano tenha Natal!

Novembro quase no fim, é hora de falar de Natal. É verdade que a festa requer planejamento antecipado: presentes, lembrancinhas, cartões, comidinhas, vinhos, doces, decoração... Mas, para mim,  é em novembro que o Natal começa.

Como sempre, fui prestigiar a chegada desta data no coquetel da Anderson Jardim Concept Store e me inspirar no bom gosto do anfitrião.

Anderson elegeu a cor vermelha em vários tons para a mesa de doces. Flores que estamos acostumados a ver em outras situações como a astromélias e antúrios, misturados a folhagens diversas trouxeram leveza a esta proposta de mesa natalina.



Bem casados embalados em papel natalino: uma delicadeza.

Objetos decorativos alusivos a data, cuidadosamente
se misturam aos pratos de doces e bolos na composição desta mesa

Anderson nos ensina a usar tudo o que temos disponível: observe o arranjo de flores e a rena nesta bandeja que lembra uma peça da casa da vovô. A placa de metal tipo lousa para lembretes carinhosos, velas em tamanhos diversos...


O porta guardanapos rouba a cena e anuncia que é Natal

A loja está repleta de sugestões não só para decorar a casa
 para a chegada das festas de final de ano como para presentear


E a tradicional árvore de Natal não poderia faltar.
Abaixo detalhe de enfeite: pequenos porta retratos



O Natal 2017 da Anderson Jardim Concept Store reflete, mais uma vez, a alma de seu autor : um misto de simplicidade e sofisticação, bom gosto, elegância e criatividade. 
Anderson Jardim, como sempre, recebe a todos indiscriminadamente como muito carinho, um sorriso largo e um abraço cheio de energia!
Com a amiga Ana Cláudia Baldacci, que acaba de lançar a Baldacci Handmade Handbags
GUIA:

 
Assis Figueiredo, 1668 - Centro, Poços de Caldas - MG, 37701-038
Telefone:(35) 3712-2434


Que seja o inicio de um Natal de Luz!

Com carinho,
Angela Caruso

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Risoto de Pera com Brie



                              . 

Os seguidores deste blog sabem muito bem que a proposta aqui é inspirar os leitores a criarem momentos de encontros reais com as pessoas. Tudo bem usar a tecnologia para nos manter próximos, mas nunca para substituir o olho no olho, o abraço e o sorriso ao vivo e em cores. Assim, sempre que é possível invento um motivo - se for necessário- para reunir pequenos grupos de amigos que ao serem convidados reagem de modo muito interessante: "Alguma data especial ?' , "É o seu aniversário?" , " Qual é a comemoração?". Sim, uma data especial! Estou com saudades e quero passar algumas horas com vocês! Ora, para estar com os amigos não basta apenas acertar os ponteiros do relógio nas agendas de cada um? Vamos comemorar a vida, a amizade, a receita que vou preparar... 

De toda forma, estes eventos  me proporcionam uma euforia muito prazerosa até uma semana antes quando inicio o plano de ação do meu novo projeto:  convite, data, horário, prato principal, bebidas, sobremesa, decoração da mesa, seleção musical ...

Para este encontro, escolhi preparar uma receita da Millie, minha cunhada: risoto de pera com brie e figo. Este é prato único e que atende a todos, inclusive aos que se abstêm da carne em sua dieta e prepará-lo é um ritual que convida a todos ficarem perto da  cozinha que em minha casa é integrada com a sala e varanda -propositadamente assim planejada- para que eu possa preparar a comida sem deixar de participar da conversa enquanto degustávamos o vinho e as entradinhas - pão e grissimis de fermentação natural, antepastos de berinjela e abobrinha, tábua de queijos, pates e geleias para acompanhar. Tudo home made direto da Cucina di San Caruso.
Para a sobremesa, mousse de manga com calda de chocolate , cuja receita está aqui no blog.

Vamos a receita:
Risotto de Pera , Figo e Brie
by Millie

Ingredientes:

300 g ou 2 xícaras (chá) de arroz arbóreo
2 colheres (sopa) de azeite
100 g ou 1/2 xícara (chá) de cebola ralada /ou bem picada
100 g ou 1/2 xícara (chá) de vinho branco
700 ml de caldo de legumes, quente
50 g de manteiga sem sal (de boa qualidade)
80 g de parmesão ralado
150 g de queijo Brie cortado em cubos pequenos
80 g de pera cortada em cubos pequenos
150 g de figo fresco cortado em cubos ou fatiados ( longitudinal)
( Millie sugeriu uvas caso não encontrasse os figos)
Sal e pimenta do reino a gosto

Preparo:

Aqueça o azeite e refogue a cebola
Adicione o arroz e refogue. Inclua o vinho e sem parar de mexer, acrescente o caldo de legumes aos poucos. Mexa até que todo o liquido seja absorvido e, então, adicione mais caldo. Proceda assim até finalizar o caldo. O arroz deve ficar macio, porém firme e com aspecto de empapado.
Em fogo baixo, adicione a manteiga, o parmesão, sal e pimenta e misture bem.
Adicione 2/3 do queijo Brie e mexa até que derreta.
Retire do fogo e adicione o figo e a pera.
Coloque em seguida na travessa e decore com o queijo Brie restante.

Preferi fazer a montagem dos pratos para servir o risoto e trouxe a toalha xadrez em outra mesa posta.

Toalha xadrez com louça branca e porta guardanapos
com flores vermelhas indicavam que esta era uma casa de um casal paulistano!


DICAS:
- receba seus convidados com a mesa de jantar, assim como a de aperitivos já pronta. Nada de procurar os copos ou talhes na hora.
- lembre-se de colocar o vinho para gelar um pouco antes - eles devem estar a temperatura ambiente do local de origem para ser servido e se puder abra-o e deixe num decanter para aerá-lo(saiba mais)
 - sobre temperatura ideal para cada vinho, segue esta tabela da revista Adega:

                        


Um brinde a amizade!
Angela Caruso

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Sorvetinhos de iogurte




Sabe as amoras que viram geleia, muffins, bolos e calda? Achei uma nova receita para uma sobremesa geladinha,vinda do site Receitas Zaffari, para usar as amoras também. São sorvetinhos feitos em forminhas de silicone, as mesmas usadas para fazer muffins e levam iogurte natural adoçados com mel e frutas vermelhas, só!
Tudo muito simples, saboroso e nutritivo.

Resolvi experimentar com as amoras colhidas do pé, lá no meu jardim. Iogurte sem lactose e mel.

Misture:

- 6 colheres (das de sopa) de iogurte natural 
- 2 colheres (das de sopa) de mel

Arrume a mistura em forminhas de silicone, coloque as frutas e leve ao congelador por 3 horas.
A sugestão da receita original, é regar mel e raspas de limão siciliano para servir.
Veja o passo a passo no vídeo:



Os meus ficaram assim 
Aqui foram servidos com bolo de amora


Muito fácil! Uma proposta divertidamente deliciosa para fazer com a ajuda da criançada.

Desfrute!

Angela Caruso

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Arroz de bacalhau com couve



Depois que descobri o bacalhau congelado dessalgado de excelente qualidade, procuro ter este ingrediente com frequência no congelador, afinal é um coringa com várias possibilidades de preparo.

O Arroz de bacalhau é um prato que faz parte da minha história e me traz boas lembranças de quando morei em Vitória, ES. Foi o primeiro prato que comemos num restaurante logo que me mudei para lá.

Vamos para a cozinha? 

Você vai precisar de:
(serve 6 pessoas)

- 500 gr de bacalhau dessalgado e desfiado
- 1 cebola cortada em fatias finas
- 1 xícara (chá) de ervilhas frescas
- 1 pimentão pequeno cortado em fatias 
- 2 ovos cozidos cortados em fatias
- 1 tomate cortado em fatias
- 2 folhas de couve rasgadas
- azeite, sal e pimenta à gosto, vinagre
- 11/2 xícaras (de chá) de arroz cozido

Preparo:
  • Comece cozinhando o arroz, os ovos e o bacalhau - coloque em água fria e espere levantar fervura. Em seguida, desligue o fogo e deixe na água quente por mais alguns minutos. Escorra e desfie mais um pouco se houver necessidade. 
  • Enquanto isso,  vá fatiando as cebolas, os tomates, o pimentão e a salsinha.
  • Em uma frigideira alta, refogue a cebola em azeite com umas gotas de vinagre, tempere com sal e pimenta à gosto. Junte os tomates, depois o pimentão e por ultimo as ervilhas. Vá ajustando sal e pimenta. Incorpore a couve apenas para uma rápida refogada.               
  • Retire a couve e reserve. 
  • Junte o bacalhau desfiado ao refogado e misture tudo de modo a incorporar com os temperos. 
  • Em um refratário coloque uma parte do arroz e vá misturando com uma parte do bacalhau  bacalhau - coloque arroz e bacalhau e misture até o final.
  • Decore com  os ovos cozidos e a couve e regue tudo com um pouco mais de azeite. 
  • Leve ao forno apenas para manter aquecido até servir.
E se o tempo permitir, arrume a mesa no quintal ou no jardim!









GUIA: 

- Sobre bacalhau desfiado dessalgado e congelado veja aqui 

DICAS:  


- É um prato único, pode ser preparado na véspera e ainda usar o arroz que sobrou do dia anterior.

Você pode acrescentar pimentões verdes, vermelhos e verdes, se quiser, além de azeitonas.

- O bacalhau desfiado pode ser o recheio de torta ou panquecas.

- Sirva com vinho branco.




Bom apetite!

Angela Caruso

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Doce de abóbora em calda




Doce de abobora é como berinjela e abobrinha, cada um tem uma receita. Parece tudo igual, mas é bem diferente.
Há tempos que minha ajudante me fala do tal doce de abobora feito com cal. Aproveitei que tivemos uma obra aqui em casa e guardei um pouco do cal antes dos pedreiros usarem e ... vamos pra cozinha fazer doce e alegrar a vida!
Sob a orientação de Eleusa Maria, segue a receita do doce.

Ingredientes:

1 1/2 kg de abóbora ( tipo abóbora pescoço) sem casca e cortada em cubos,
1 1/2 colher ( das de sopa) de cal
1 litro de água
4 xícaras ( das de chá) de açúcar refinado
1/2 colher (das de chá) de cravo

Preparo:

  1. coloque a abobora em cubos de molho em água e cal - observe que a água deve cobrir a abóbora - por 1 hora
  2. retire a abobora do molho e lave muito bem todos os pedaços em água corrente
  3. com a ponta de uma faca, faça furinhos em cada lado de cada pedaço de abóbora ( para que o açúcar possa penetrar durante o cozimento) - sim, muita paciência! Aproveite o momento para meditar.
  4. leve ao fogo em panela grande - que acomode bem a abóbora- com um litro de água, o açúcar e o cravo
  5. deixe ferver até que forme uma calda e então desligue ( muita clama porque vai demorar um pouco). Obs: não é preciso ficar mexendo.
  6. deixe esfriar e guarde em vidros ou compoteira


Os pedaços de abobora ficam firmes por fora e cremosos por dentro. Sirva com queijo se gostar. É o máximo da gostosura.


Que os dias sejam doces!
Com carinho,

Angela Caruso